Páginas

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Poema 83



à espreita

tem uma poesia em você
em algum lugar, eu sei,
e, em algum momento,
ela vai sair.
não se deve apressar as musas.

poesias são animais silvestres
muito procurados pra caça esportiva
e se espantam com movimentos bruscos
e musas espíritos ariscos da floresta que
flutuam etéreas por entre as árvores
cheirando a tabaco e grama e uvas,
perniciosas mestras da arte da fuga.

me resta lançar a isca e
esperar
que me façam dormir e
esquecer essa tolice de fazer poesia
ou me presenteiem com as tais palavras certas,
as que te darão forma
e que não são essas.


***
Tem algo de medíocre nessa aí. Não tanto pela qualidade, que não está nem acima nem abaixo da minha média. É mais a impressão de que já escrevi isso antes. Várias e várias vezes. Mas t'aí. Melhor aqui que em lugar nenhum. E talvez, eu reconhecendo a mediocridade, fique menos pior. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

caixa do afeto e da hostilidade