Páginas

terça-feira, 1 de julho de 2014

poemas: 53, 54


53

eu e a musa
dançando sobre a lua de holofote,
e eu me iludindo a perceber
sinais de afeto no olhar dela.


54

algumas cervejas depois
em um encontro de motoqueiros,
voltamos para casa andando lado a lado
como duas sombras na rua
pelas nuas calçadas de uma noite de quinta.
trocamos experiências e vontades drogadas
- suas memórias de extasy,
minhas curiosidades enteogênicas, psicodélicas -,
agendamos viagens imaginárias
e recitamos nostalgias recentes de saudade,
ela queria dançar embriagada pelos bares de Dublin,
ela queria fumar maconha em Amsterdam,
ela queria ver os cantos pobres do México.
eu queria estar com ela.
vamos, então, eu disse,
pegar uma passagem só de ida.
eu escrevo e recito poemas malfeitos,
você canta e traduz a letra da canção em libras, ao mesmo tempo,
a uma multidão passante de nativos confusos para
ganharmos alguns trocados,
viveremos em pousadas baratas,
trabalhando em troca de comida e teto.
mochileiros fazem muito mais com muito menos.
que loucura, ela diz, e ri de si mesma e ri de mim,
e uma mulher do outro lado da rua nos pede um isqueiro,
então nos xinga antes de ouvir a resposta.
e rimos juntos.
eu amo essas coisas loucas que acontecem
quando saímos da rotina, ela diz.

2 comentários:

  1. Adorei os poemas. Já disse, mas repito: você escreve muito bom e encaixa as palavras de uma maneira admirável. Devo dizer que o que me agradou mais foi "54".
    Eu sempre quis escrever poesia, mas acho que não tenho muito talento, ainda mais que sempre estive presa na ideia de que os versos precisavam rimar, mas quem sabe algum dia eu não tente e comece a escrever... Um dia eu acordo empolgada e decido haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito grato. A parte divertida, para mim, é que os dois poemas são sobre a mesma coisa/pessoa/momento. Só mudaram as abordagens. Também gostei mais do 54, mesmo ele sendo mais direto - talvez direto demais.
      Se você sempre quis escrever, então escreva. Não tem segredo nenhum. Talento é só 10% da coisa, o resto vem com prática, tentativa e erro. Avise se conseguir, gostaria de ler.

      Excluir

caixa do afeto e da hostilidade