Páginas

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Ademar "Chocolate" - O Vendedor de Versos

Esse post é um bônus. Depois de amanhã acho que vou ficar sem internet por um tempo e ando muito ocupado no trabalho para trabalhar no blog por lá, como costumava fazer até uns meses atrás. Por ser um bônus, a temática é meio diferente. Na verdade nem sei qual é a temática. Uma mistura de divulgação, homenagem, memória e uma série de outras coisas. Já é hora de eu parar de tentar organizar essa porra. O blog é meu e sobre mim, decidi escrever sobre essa pessoa que eu conheci e o trabalho que ela realiza, então é isso que será feito.

Acho que boa parte dos moradores de Itajaí conhecem esse homem. Talvez não saibam quem ele é ou o que faz, mas com certeza já o viram. Um homem simples, abatido pelo sofrimento da vida, às vezes com uma longa barba, outras mais aparado. Pedalando por aí com uma cesta de livros, até chegar em seu ponto de venda de costume. Antes numa praça no final da Hercílio Luz, hoje no estacionamento do McDonald's, na Marcos Konder. Na mureta ele alinha seus livros, adquiridos por doação, usados e danificados, mas não tanto quanto seu próprio corpo. Dez reais por livro é o que ele pede, se não puder que o ajude com um trocado qualquer para conseguir a refeição do dia.

Dele eu comprei Prosa e Poesia Completa, do Edgar Allan Poe, em frente a um restaurante por quilo, depois de uma promessa de longa data que eu lhe havia feito, de comprar um livro quando o visse e tivesse algum dinheiro no bolso. Então fiquei sabendo seu nome. Cumpri minha promessa, prometendo comprar outro. Meses se passaram e não o via, então ele apareceu e eu não tinha mais que algumas moedas, que lhe dei para que pudesse comprar uma águas. Uns tempos depois, comprei Pensar é Transgredir, da Lygia Fagundes Teles, que acabava de ser rejeitado por uma mulher. Estava molhado da chuva, mas perfeitamente legível. O mantive um tempo sob o notebook da minha empresa. Fim de expediente e ele estava novo. Nesse dia ele me pediu que o chamasse de Chocolate e visse seu vídeo no youtube. Um curta da RBS, sobre sua vida.

O vídeo está logo abaixo. Peço para que os poucos que me leem, pela primeira vez me levem a sério. Fiquei fascinado por essa pessoa. Analfabeto, vendedor de livros e poeta de inspiração. Sem saber escrever produziu coisas superiores a qualquer coisa que eu já me arrisquei a escrever nessa bagunça, ou li escritos em outros blogs de pura pretensão e pouco conteúdo. Todos temos algo a aprender com ele e com todos aqueles que, por loucura ou puro azar, perdem tudo e vivem por aí, com o que a vida e o acaso lhes oferece. Se você for de Itajaí, mesmo que não tenha dinheiro, o escute, ouça suas poesias e aprenda uma coisa ou duas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

caixa do afeto e da hostilidade