Páginas

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Sobre o Homossexualismo


Os homossexuais em um intervalo de um ano foram de um grupo esquecido, isolado da sociedade, para a maior ameaça a espécie humana desde a bomba atômica. Isso sem nenhum motivo aparente.



Por alguma razão misteriosa, líderes conservadores e religiosos estão tentando de qualquer forma proibir o casamento gay. Não importa a crise econômica mundial, a Grécia vendendo até o povo, o meio ambiente e a popularização da música sertaneja, tudo isso vai acabar quando os homossexuais desistirem do casamento.



Eu entendo que seja uma questão de democracia, mas como homem heterossexual, não vejo qual pode ser o meu papel nessa decisão. Pouco me importa se gays ou lésbicas se casam, desde que não seja comigo, sou a favor da liberdade. Embora não me importaria nem um pouco em ajudar um casal de lésbicas com tendências bissexuais a fazer seu trabalho.



A questão aqui é que, pais (ou mães) homossexuais podem vir a ser más influências aos filhos adotivos, mas também poderia aquela senhora que espancou o Yorkshire sem nenhum motivo aparente ou aquele casal hétero que atirou a filha da janela. Que fim levou esses dois, por sinal? Nesse caso ninguém se manifesta, é normal. Pais tanto hétero quanto homossexuais podem ser um problema, isso não é exclusividade de certo grupo de pessoas. Além disso, dizer que a criança adotada pode virar homossexual, também é absurdo, sendo assim não existem gays, pois todos os pais biológicos são héteros, logo “nunca houve” má influência.



O que os religiosos não querem aceitar, mas já foi provado, é que ser gay é genético, acontece, “deus” fez assim, logo é natural. Portanto não existe motivo para impedir seu casamento. No entanto, quanto ao casamento religioso, concordo que a igreja deve ter total liberdade para realizar ou não a cerimônia, afinal o livro deles deixa bem claro a intolerância ao dizer que gays são “abominações”. Seria bom que o sacerdócio tivesse a decência de mudar seus dogmas, quando estes excluem e julgam os outros, mas isso é utópico. Eles têm direito a intolerância. Agora proibir qualquer forma de casamento entre homossexuais é ridículo, obra de quem queria ser igual, mas não pode devido à pressão da sociedade, então decidem proibir a todos de fazê-lo. Por isso eu digo, homofóbicos saiam de seus armários, se entreguem aos seus instintos. Sejam livres e permitam a liberdade dos seus iguais.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

caixa do afeto e da hostilidade