Páginas

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Partido Islâmico Brasileiro


Acabo de ler sobre a tentativa de criação do PIB, Partido Islâmico Brasileiro. Vou admitir logo de início que não serei imparcial nesse texto, não acho que alguma vez fui 100% imparcial, mas nesse eu nem me esforçarei. Tenho certo desprezo por todas as religiões, do cristianismo ao hinduísmo, no entanto o islamismo eu guardo em um lugar especial, onde apenas os meus ódios mais profundos são guardados. Que fique claro. Esse ódio não é de islâmicos, e sim do islamismo, se você, caro leitor (como se alguém me lesse... Sério se você existir comenta aí, por favor. Dá um sinal de vida.) não sabe diferenciar os dois, não é problema meu, a não ser que o islâmico em questão seja fanático, terrorista e/ou fundamentalista, neste caso, odeio também o islâmico.

Palavras inexistem para descrever o tamanho da desgraça que seria o Brasil com líderes islâmicos. Só a bancada evangélica já é um grande retrocesso para o país. Uma porcentagem, mínima que fosse, de islâmicos na câmara, bastaria para nos levar de volta a idade média europeia, já sinto o cheiro dos corpos queimando. Talvez esteja exagerando, no site deles é visível que eles tem conhecimento de que o Brasil não é um país culturalmente islâmico, contudo, após observação mais detalhada, se torna óbvio que isso é um disfarce, de outra forma não atrairiam eleitores. Só que a máscara cai quando o partido afirma que o consumo de bebida alcoólica ocorre somente devido a propaganda, sem ela seria cabível proibir o consumo. Vou repetir caso pessoas mais lentas de compreensão estejam lendo esse texto. Proibir, no Brasil, o consumo, distribuição e fabricação de bebidas alcoólicas, no país da Ambev. Por um minuto sou levado a acreditar que os líderes do partido são na verdade traficantes querendo incluir um novo produto em seu catálogo, mas essa gente é inocente demais para um esquema dessas proporções, eles querem proibir o álcool somente porque Alá não gosta. Pelo menos não enquanto estivermos vivos, já que depois da morte, o paraíso oferece rios de vinho, que não deixa aquele que o bebe embriagado, também conhecido como suco de uva. Acha que eu estou mentindo, ora, pesquise você sobre o paraíso na cultura islâmica, talvez realmente esteja. Mas o álcool é o menor dos problemas, me afeta de modo pessoal, pois sou apreciador dos vinhos, uísques e outros líquidos para mim sagrados, por isso elevo sua importância, mas admito que seja a ponta do iceberg. A ameaça real é a tentativa de instaurar uma teocracia islâmica em um país de variedade religiosa como o Brasil. Por mais que eles neguem em todos os momentos esse objetivo, quando se diz que a intensão geral do partidor é gerar um governo com ideais nem capitalistas ou comunistas, nem liberais ou socialistas, mas sim unicamente islâmicas, logo se deve supor que o plano é tornar o Brasil uma nação islâmica, talvez por enquanto tolerante aos ideais contrários, mas isso é uma questão de tempo. Anos atrás os imigrantes islâmicos na Europa eram tolerantes aos costumes locais, hoje, como chegaram a um maior número, querem proibir a presença de cães em seus bairros entre outras leis de cunho estritamente religioso. O mesmo vai acontecer aqui. Já acontece com os pentecostais, que querem exigir a leitura obrigatória da bíblia nas escolas, proibir aborto até nas situações mais extremas (estupro, risco de vida a mãe, anencefalia), impedir a união entre homossexuais de todas as formas possíveis, enfim forçando suas crenças no povo em geral. Com o islam seria o mesmo, só substituindo a bíblia por corão.

De acordo com eles, o segredo para o progresso de nossa nação está no islamismo, pois este proíbe a cobrança de juros, que tanto enriqueceram “os banqueiros sionistas”, o vício das drogas e bebida, o pecado de acordo com Alá. Já é assustador demais para mim, contudo entendo porque algumas pessoas iriam concordar, mas vamos listar algumas consequências que pode trazer a influência islâmica no Brasil. Nada fora da realidade, só exemplos de leis vigentes em alguns países que seguem essa crença. Nossas mulheres serão obrigadas a vestir a burca, eu não sei quanto ao leitor, mas a mim isso parte o coração; apedrejamentos e chibatas em praça pública a mulheres adúlteras, prostitutas; pena de morte a hereges e apostatas, em um estado islâmico cristãos estão inclusos nesse meio; eu já citei isso diversas vezes, mas sinto a necessidade de repetir, proibição da fabricação, distribuição e consumo de bebidas alcoólicas; proibição do consumo da carne de porco (talvez produção também. Não garanto. Se for, é só um dos principais produtos exportados brasileiros, então nem deve afetar nossa economia, assim como o fechamento da Ambev não vai causar desempregos ou consequências graves); entre outros absurdos que podem ser vistos vez ou outra no Oriente Médio.

Não acho que o mundo pode se tornar um lugar melhor, não acredito em direita e esquerda política, acho os dois lados superficiais e incompletos. Não vai ser um partido laico que vai resolver todos os problemas do Brasil. Independentemente disso, tem uma coisa que não quero ver. O país retroceder, e será essa a maior consequência de eleger líderes islâmicos. Transformar o Brasil no Irã.

5 comentários:

  1. Nem o comunismo consegue ser implantado aqui. Que dirá o Islamismo? Já nasceu morto o projeto deles

    ResponderExcluir
  2. Nem o comunismo consegue ser implantado aqui. Que dirá o Islamismo? Já nasceu morto o projeto deles

    ResponderExcluir
  3. A única coisa que posso dizer é que V. Sa. exprimiu muito bem, chega de vir tranqueiras pra cá, precisamos exportar todo esse lixo que está por aqui pra Cuba e pro Oriente Próximo !!!

    ResponderExcluir
  4. Precisamos ficar atentos Rafael pq a PF ja identificou uma celula da Al Qaeda em Foz de Iguacu, eles no dia a dia sao comerciantes, advogados entre outras profissoes, mas sao responsaveis pela logistica de outros grupos terrorristas ao redor do mundo.
    Nosso pais esta servindo de base pra esse tipo de acoes e a PF ate prendeu os envolvidos mas a Dilma se recusou a aprovar leis contra terrorismo e se recusou a deporta-los.
    Arabia Saudita e Iran tem acordos comerciais com o Brasil baseados na lei economica islamica ( sharia)
    Sim eles estao crescendo e tem mtos simpatizantes na esquerda politica nao so no Brasil mas tb em outros paises.
    Pesquise a situacao em Londres, as patrulhas de sharia querendo impor as leis islamicas nos cidadaos londrinos.
    Veja Oslo que era considerada uma das melhores cidades da Europa em termos de seguranca e agora eh considerada a Capital do Estrupro na Europa gracas a imigracao massiva de mulcumanos.
    E qto mais instavel um pais se encontra no setor socio-politico mais facil se torna pra eles se infiltrarem atraves de imigracao e atraves de negocios,acordos economicos.
    No Brasil nao eh desprezivel o investimento que eles fazem no agro-business.

    ResponderExcluir
  5. Julius Caesar Maximus21 de outubro de 2014 04:12

    Já to vendo a gente de AK na mão combatendo esse povo no centro de Sao Paulo.

    ResponderExcluir

caixa do afeto e da hostilidade