Páginas

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Ativismo no século XXI


Você faz parte da extrema minoria da humanidade que sabe ler, escrever, tem mais de uma refeição por dia, um emprego, talvez um carro ou curso superior, onde morar, família, amigos e mais uma série de “luxos”, logo deve ser feliz. Quem nunca ouviu essa afirmação, seja em um e-mail de corrente ou de algum cretino de facebook (que pra piorar posta uma foto de uma criança subnutrida na Etiópia com moscas no rosto como se isso fosse um ato humanitário)?



Como pode o ser humano ter atingido o grau de estupidez necessário para acreditar que ser parte da minoria que possui acesso aos meios básicos de sobrevivência é razão de felicidade? Como se não bastasse, os disseminadores dessas mensagens “positivas” creem serem grandes ativistas por repassarem um e-mail, acham que fazem a diferença, a “sua parte”. O que não é verdade e beira o delírio. Ver que é apenas uma minoria que tem capacidade de viver com o mínimo de “conforto” é na verdade razão para a tristeza, exceto que você seja um completo egoísta que não vê, ou pelo menos finge não ver, que para a sociedade estar bem não basta à minoria estar confortável e sim tentar mudar esses números. Mas isso é complicado, exige trabalho e esforço, nem todos estão dispostos a fazer alguma coisa, nem eu que escrevo este texto faço alguma coisa, mas reconheço a hipocrisia e a desgraça da experiência humana. Sei do desespero que é existir e não finjo felicidade às custas da miséria alheia.



Infelizmente vivemos em um mundo de disparidades, somos vítimas do acaso, uns nascem com muito outros com nada e estes se recusam a repartir para equilibrar, pois seria “comunismo”. Igualdade é coisa de “esquerdista”, é tirar a liberdade individual, quem trabalha tem o direito de gerar uma fortuna e queimá-la em superficialidades. Essa é a cultura da civilização, nascemos, crescemos e fomos criados dessa forma, mas, como somos bons, de vez em quando mostramos a miséria na página do facebook para salvar o mundo.



Aqueles que creem na bondade do ser humano e que o mundo pode ser salvo sabem que todas as grandes mudanças nas civilizações foram realizadas nas ruas, com sangue e suor, não em casa em frente a uma tela de computador. Se você realmente quer salvar o mundo, faça o mesmo, junte-se a eles. E desligue a porra do computador!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

caixa do afeto e da hostilidade