Páginas

domingo, 6 de maio de 2012

E a família?


           Por que a fascinação atual com a família? “Devemos proteger a família”. “Valores familiares”. “Pais de família”. Que afeta o caráter de um ser reproduzir-se? Manter uma mesma parceira ou parceiro durante toda a vida? O que importa é a felicidade, o amor. Gostaria de encontrar uma mulher por quem me apaixonasse a ponto de não precisar assinar um documento provando isso ao mundo, o amor entre nós bastasse. Deve ser mais uma ilusão que com os anos desaparece, espero que não. Essa é uma ilusão que vale a pena. Entre todas as coisas, o amor passional é a única coisa que realmente vale a pena a ilusão.
            Nem citarei a questão homossexual, pois é tão simples que o debate se torna absurdo, talvez outra hora.
         Hoje casa-se pensando no divórcio, o que cada um leva depois que o ódio mútuo inevitável finalmente vier à tona.  Isso só deve ocorrer devido à pressão imposta pela sociedade nas pessoas após certa idade de que, para que ele se complete, ele deve casar e ter filhos.  Com isso, o homem casa com aquela namorada que ele vem enrolando há anos e ela aceita, pois se sente vitoriosa por conseguir casar, mesmo os dois não se amando. É óbvio que isso terminará em divórcio ou em um relacionamento completamente indiferente.
            Terminar um relacionamento é considerado frieza, falta de consideração e crueldade, quando na verdade, abandonando toda infantilidade e levando em consideração que a vida é longa de mais para se ficar uma pessoa sem amor e muito curta para se desperdiçar com ela nas mesmas circunstâncias, é exatamente o contrário que ocorre. Manter um relacionamento sem amor é que é cruel, terminar é um exercício de desapego. É se importar tanto com a pessoal, que quem termina se priva do sexo fácil, que é o relacionamento, em prol da felicidade de sua ex-companheira ou companheiro, pois esta nunca estará plenamente satisfeita com a atual relação.
            Obviamente o que se fala aqui não é o amor perfeito, sem brigas, em que tudo é uma eterna felicidade, até porque isso não só não existe como é extremamente chato. O amor do texto é aquele em que todas as brigas e desentendimentos se tornam irrelevantes, tudo que importa é estar com essa outra pessoa. E isso existe, o difícil é achar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

caixa do afeto e da hostilidade